Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2011

“Um por todos, todos por zero”

Angariar fundos e apelar à ajuda de todos e de cada um para levar às crianças que mais precisam cuidados de saúde e nutrição, água potável, vacinas e redes mosquiteiras, que salvam vidas é o objectivo da campanha da Unicef “Um por todos, todos por zero”. Com locução de Ruy de Carvalho em rádio e a participação de Bárbara Guimarães, Telma Monteiro e Pedro Couceiro em imprensa, mupis e multibanco, a Brandia Central foi responsável pelo desenvolvimento desta campanha. A Unicef disponibilizará ainda um micro site com informação sobre a campanha e indicação das formas de participação - chamada valor acrescentado, transferência bancária, donativo online, Multibanco. Com divulgação até 31 de Dezembro, a campanha passa a mensagem que “21 000 crianças menores de cinco anos morrem diariamente de causas evitáveis como a diarreia, a malária, o sarampo, a SIDA e a subnutrição”.

Tudo por um Sorriso

Para quem ainda não tem afilhado, para quem ainda não conhece a Campanha de Natal Tudo por um Sorriso, aqui vai toda a informação necessária! :)
Pretendemos fazer sorrir 722 crianças/Jovens de várias instituições a nível Nacional... Só faltam 144 sorrisos :)
Aguardo novidades suas (nome, numero e instituição do seu afilhado:) Espere por uma confirmação antes de comprar o presente!

-- A Listagem de presentes é uma referência! Não deixe de apadrinhar! (Guie-se apenas com o nome e a idade das crianças)!
Faça um like na nossa página e escreva a sua opinião sobre esta campanha :) e Veja os nossos vídeos! www.facebook.com/tudoporumsorriso
Os presentes terão de ser NOVOS e entregues até ao dia 15 de Dezembro. Embrulhados e devidamente identificados (etiqueta grande com a informação detalhada do afilhado e do padrinho)! Morada: (dias úteis entre as 09h e as 18h, e dia 0 de Dezembro a partir das 14h-18h) Centro de Convívio da Junta de Freguesia de Cascais Rua Paulo da Gama, n.º 114 2750-183 Cascais (C…

NATAL 2011

Que tal fazer algo diferente, este ano, no Natal? Sim, Natal: daqui a pouco ele chega.

Que tal ir a uma agência dos Correios e pegar numa dos 17 milhões de cartinhas de crianças pobres e ser o Pai ou Mãe Natal delas?

Há a informação de que há pedidos inacreditáveis. Há criança a pedir um pacote de bolachas, uma blusa de frio para a avó, etc.

É uma ideia. É só pegar numa carta, e entregar o presente numa agência do Correio até dia 20 de Dezembro. Os Correio encarregam-se de fazer a entrega.

Imagine uma criança pobre, recebendo o presente que pediu ao Pai Natal.


Diz-se que na vida, passamos por 3 fases:

      - a primeira, quando acreditamos no Pai Natal;
      - a segunda, quando deixamos de acreditar e
      - a terceira, quando nos tornamos Pai Natal.

Do donativo ao investimento social

Aferir qual o contributo das empresas para a comunidade e reflectir sobre o papel social das mesmas constituem os objectivos principais da 2ª edição do estudo “O investimento das empresas na comunidade” divulgado este mês pela consultora Sair da Casca. O VER apresenta os seus principais resultados e contextualiza-os em entrevista com Nathalie Ballan, sócia fundadora da consultora, que chama a atenção para uma nova abordagem à actuação social: a dos negócios “inclusivos”

Um excelente artigo da Helena Oliveira no portal VER


Empresas solidárias em tempos de crise

Em conjunturas mais prósperas há, naturalmente, maior abertura e disponibilidade para projectos e iniciativas de RS, que apoiam transversalmente pessoas, comunidades e organizações em áreas tão distintas como a saúde, a educação ou o ambiente. Mas em tempos de crise, as necessidades aumentam e quer a população em geral, quer as instituições do Terceiro sector precisam, mais do que nunca, de ajuda. 
Não necessariamente – e jamais preferencialmente – de uma ajuda estritamente assistencialista, mas de um apoio estrutural, isto é, capacitante. Em resultado do seu compromisso com a comunidade, algumas empresas lançaram recentemente iniciativas de solidariedade ou negócios sociais, enquanto outras reforçaram a sua aposta em projectos inovadores que têm vindo a garantir a sustentabilidade de projectos sociais em diversas valências.

O VER apresenta nesta edição totalmente dedicada a boas práticas empresariais, seis casos de sucesso de projectos que, em parceria com instituições…

“É com muito amor que nos damos às plantas”

Ao todo, são 1.200 plantas, entre “alfaces, brócolos, favas e couves portuguesas, as culturas que melhor se adaptam a esta época do ano”, diz o professor Shakib Shahidian, responsável pelo projecto da horta da Mitra, que, a bom ritmo, lá vai produzindo produtos biológicos.
A cerca de 12 quilómetros da cidade de Évora, este pólo da Universidade local, que funciona, também, como herdade experimental, faz agora as primeiras colheitas, num terreno com cerca de 400 metros quadrados.
Shahidian é um professor que gosta de aulas práticas e alunos com vontade de trabalhar. Assim começou verdadeiramente o projecto. “Um dia viemos ao campo montar um sistema de rega e os alunos perguntaram se podiam criar uma horta. Eu disse que sim, mas nunca sonhei que passada uma semana me fossem bater à porta para fazer a horta”, recorda, entusiasmado, o docente que lecciona várias disciplinas na Licenciatura de Agronomia.
Desde a plantação e rega, até à colheita, tudo está a cargo dos alunos que colocam em p…